domingo, setembro 27, 2009

Maria dos Olhos Grandes

Hoje, dia dito de reflexão, aproveitei para trocar o putativo dia do pensamento nas cruzes por um exercício de memória. E pus-me aqui a tentar recordar qual o primeiro livro que li a um grupo de alunos. Se a memória não me falha corria o ano 1978 e eu treinava para professor. Naquela altura treinava-se pelo menos duas vezes por semana...



Maria-dos-olhos-grandes e Zé Pimpão

Maria-dos-olhos-grandes
tinha uns olhos grandes grandes
que pareciam azeitonas
Maria-dos-olhos-grandes
tinha uns olhos de ver o mundo
Maria tinha umas tranças
pequeninas
bem espetadas
pareciam duas antenas
Maria tinha umas tranças
bem espetadas de ouvir o mundo
Maria tinha um vestido
que era de todas as cores
mas uma de cada vez
Maria tinha um vestido
com todas as cores do mundo



Maria tinha um amigo
muito giro muito vivo
moço da rua e da gente
era um amigo a valer
Maria tinha um amigo
chamava-se Zé Pimpão
Zé Pimpão era um miúdo
de olhos piscos guedelhudo
Zé Pimpão sabia o mundo
Zé Pimpão tinha nos olhos
as viagens que sonhou.
Zé Pimpão tinha nos olhos
a côr do sol e do mar
Zé Pimpão tinha nos pés
uns pés grandes e descalços
Zé Pimpão com os pés nús
sentia melhor a rua



Numa manhã quente quente
com o sol bem descarado
com um sol de passear
assobiou Zé Pimpão
para apressar a Maria
Maria veio, deu-lhe a mão
foram-se os dois a cantar
Zé Pimpão levou Maria
a ver o mundo muito longe
Zé Pimpão levou Maria
a ver os dois lados do mundo



Maria-dos-olhos-grandes
não podia acreditar
que o mundo era assim
Maria-dos-olhos-grandes
julgava que o mundo mundo
era só o seu jardim



Zé Pimpão estava contente
Mas não sabia Maria que depois
do seu jardim…
Mas não sabia Maria
que o mundo era muita gente?
Maria-dos-olhos-grandes
pensava que o mundo a sério
a tia Joaquina
era o tio Salustrião
era o pai e era a mãe
mais o primo pequenino
e é claro o Zé Pimpão
Maria-dos-olhos-grandes
Via o mundo pequenino



E Zé Pimpão mais sizudo
mostrou então à Maria
que num dos lados do mundo
havia prédios bem altos
e mais jardins floridos
muita luz e muitas cores
Zé Pimpão levou Maria
do lado de cá do mundo



Foram foram saltitando
sobre as pedrinhas na lama
vendo cortinas-jornais
telhados de papelão
e miúdos reinadios
amigos do Zé Pimpão
que nunca olharam o céu
pois vêem o sol nos charcos
pois vêm o sol no chão
Com uns olhos tristes tristes
Zé Pimpão levou Maria
do lado de lá do mundo
do lado que não se vê



onde há barracas escuras
Feitas nem sabe de quê
e miúdos a chorar
e onde os brinquedos são pedras
e a lama são os jardins
Zé Pimpão levou Maria
do lado de lá do mundo



Maria viu e reviu
um mundo novo tão velho
que precisa de aprender
que precisa que os meninos
o ensinem a crescer
Para fazer um mundo novo
um mundo velho tão novo
Quando voltaram à noite
Maria-dos-olhos-grandes
com uns olhos de ver mundo
trazia o mundo nos olhos
para dizer ao Zé Pimpão:



Zé Pimpão vamos fazer
que haja um só lado do mundo
Ou só o lado de cá
ou só o lado de lá
Zé pimpão eu queria o mundo
com todos do mesmo lado
Se não há jardins para todos
vou dividir os canteiros
se os canteiros não chegarem
uma flor para cada um
e se as flores forem poucas
há pétalas
enfim há cheiro
mas todos terão igual.

Canuto Jorge Glória – Edições ITAU – s/data

2 comentários:

Saltapocinhas disse...

tenho esse livro lá na escola e já há muito que não o leio aos miúdos.

bem lembrado!

mamã aline disse...

Sempre me falaste nessa história, mas ainda não a tinha lido...
Gira. Gostei!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Contador

Este blog possui atualmente:
Comentários em Artigos!
Widget UsuárioCompulsivo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...