quinta-feira, outubro 25, 2007

Plágio



Relembrando o artista: Tom Zé!

4 comentários:

SaltaPocinhas disse...

mas haverá alguma coisa que não seja plágio??

José António disse...

Considero que a tua pergunta poderia abrir espaço para um debate interessante, mas...assim à primeira vista, plágio é uma cópia atrevida. Uma coisa é "copiar" sem saber de quem ou de onde, outra é copiar descaradamente. Acontece-me às vezes escrever um parágrafo e pensar para comigo: é lá!...isso aí foi de teres lido recentemente a revista A ou o livro B. Este tipo de cópia não me parece que resulte de apropriação indevida do trabalho de outrém.
Coisa distinta é fazer copy e paste de parágrafos inteiros. Há uma diferença abissal e essencial. Para mim, a marca dessa diferença reside na honestidade. Tom Zé é um bom exemplo: assume o plágio, mas mostra-nos o que é um plágio honesto.

José Manuel Dias disse...

Será imitação criativa?!

Nilson Barcelli disse...

Plágio com alteração de ritmos ou da letra continua a ser plágio.
Tivemos uma canção que ganhou o festival da canção que também foi plágio.
O Marco Paulo copiou "Eu tenho dois amores". O original é alemão e eu ouvi-o há cerca de 1 ano. É igualzinha, só a letra é que muda, claro...
Até eu plagiei alguma coisa no meu último poema...
Bfs, abraço.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Contador

Este blog possui atualmente:
Comentários em Artigos!
Widget UsuárioCompulsivo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...